Turismo Micronacional

1. Museu ao ar livre Skanse, Suécia

 

Situado na ilha de Djurgården, na capital sueca (Estocolmo), Skanse é um misto de Jardim Zoológico e “museu verde”, e tanto agrada os suecos quanto os turistas de todos os cantos do planeta que passam por lá. Aberto em 1891, é considerado o mais antigo museu ao ar livre do mundo e além da vegetação abundante, conta com construções típicas do passado sueco. 

Ao passear, o visitante poderá observar casinhas, aldeais e animais da Escandinávia no espaço reservado ao Zoológico. E para manter o público imerso à toda riqueza histórica proposta, o uniforme dos funcionários é o mesmo utilizado por antigos camponeses das áreas rurais. Ótimo passeio para toda a família!

2. Parque Nacional Skaftafell, Islândia

 

O Parque Nacional Skaftafell está incluso entre as principais atrações da Islândia, este organizadíssimo país de privilegiadas mostras da natureza. Situado entre Höfn e Kirkjubæjarklaustur, na região sul, ele possui cachoeiras, geleiras, montanhas de neve e todo aquele clima deliciosamente selvagem que tanto encanta os viajantes sedentos por aventuras, ou mesmo o especialíssimo momento de calmaria “fora da civilização”. 

A cachoeira de Svatifoss e a geleira Atnajoekull, a principal da Europa, são alguns dos pontos a serem descobertos nesse passeio que tem tudo para ser inesquecível!

3. A encantadora Reykjavik, Islândia

 

Continuando na Islândia… Chegou a hora de conhecer Reykjavik, a impecável capital que traduz muito bem o nível de infraestrutura urbana e qualidade de vida do país e a sintonia (e harmonia) de tais características com toda a natureza do entorno. Sem prédios enormes e o habitual trânsito caótico de tantas cidades mundo afora, este destino

tem aproximadamente 100 mil habitantes e rapidamente agrada o visitante com a beleza dos telhados coloridos. 

Divirta-se no conjunto Laugardalslaug, esse apreciadíssimo point da vida social islandesa que disponibiliza saunas, piscinas, lanchonetes, etc. Mergulhe nas águas termais e fotografe bastante!

4. A encantadora e remota Mykines, Ilhas Faroé

 

As Ilhas Faroé, essa região autônoma dependente da Dinamarca e localizada entre a Islândia e a Escócia, definitivamente não podem ser esquecidas durante as andanças pela Escandinávia. As vegetações que cortam montanhas, vales, cachoeiras e toda a fauna são de tirar o fôlego e mais parecem exemplares vistos em contos de fada ou retirados do imaginário em algum sonho bom, mas por lá é real. Tudo é de verdade! 

E a ilha Mykines é uma das mais conhecidas em todo o arquipélago e especialmente famosa pela grande população de pássaros. Não perca a oportunidade de se divertir bastante em uma das regiões mais remotas do planeta!

5. Estocolmo: uma das mais belas da Europa, Suécia

 

É fácil concluir que a capital sueca é uma das cidades mais espetaculares do velho continente. Sem problemas no trânsito, ou poluição e insegurança, repleta de museus, parques e as habituais vias charmosas com seus cafés, restaurantes, galerias de arte e lojas, Estocolmo é divertida até no rigoroso inverno. E é frio mesmo, não abra a mão de colocar os melhores casacos na mala. 

Utilize o transporte público para conhecer os pontos turísticos e observe com admiração o estilo de vida da população.

 

6. Oslo, Noruega

 

A Noruega ocupa a primeira posição entre os países com a melhor qualidade de vida do mundo. Na capital Oslo, o viajante poderá em uma só oportunidade praticar atividades esportivas, sentir o burburinho local ao caminhar por ruas, praças e parar em cafeterias interessantes, andar por florestas e ficar apaixonado por um concerto musical. 

Tudo isso porque a coexistência natural/urbano está entre as melhores qualidades desta célebre localidade, capaz de colocar em sintonia — nos exemplos arquitetônicos de prédios, ruas e praças — o moderno e o tradicional, e beneficiar moradores e visitantes com os parques, museus, casas de ópera e todo o mais. Ah! Não deixe de andar de bicicleta: o meio de transporte é MUITO utilizado pela população.

7. A “mágica” Cachoeira Mulafossur, Ilhas Faroé

 

Voltemos a atenção para as Ilhas Faroé e dessa vez para destacar a cachoeira Mulafossur, muito apreciada por turistas que embarcam para o arquipélago. A atração localiza-se na cidade de Gásadalur, ilha de Vágar, que tem — pasmem — por volta de 20 habitantes! 

A queda d’água surpreende a todos por mergulhar da borda de um penhasco no oceano. E olha essa lenda da região: segundo contam, uma das rochas de Gásadalur é habitada por anões. Que tal?

8. As Ilhas Lofoten, Noruega

 

As chamadas “Ilhas Virgens da Noruega” são incríveis para o visitante observar as auroras boreais e o sol que aparece à meia noite. Boa região de pescaria e passeio de caiaques, o arquipélago contempla magníficas águias e algumas colônias de pássaros. 

Com lindas praias indicadas para o surfe, montanhas exuberantes (ideais para trilhas e esqui), as ilhas Lofoten oferecem ótimas opções de hospedagens. Sem dúvida um dos melhores lugares da Noruega e de toda a Escandinávia.

9. As cores de Trondheim, Noruega

 

A terceira maior cidade da Noruega é uma espécie de “meca da tecnologia” na Escandinávia, abrigando o moderno SINTEF, — um centro de pesquisa que realiza trabalhos importantes e inovadores sobre o emprego de métodos de preservação ao meio ambiente — e também é uma cidade universitária. Há, portanto, aquela agradável, leve e festeira atmosfera, típica de locais com vários estudantes. 

Fundada pelo rei Olav no longínquo ano de 995 a.C., Trondheim concentra catedrais enormes e belíssimos armazéns de madeira, que margeiam ambos os lados do rio Nidelva. Ah! Como são lindos os edifícios coloridos!

10. Parque Nacional de Thingvellir, Islândia

 

Tão belo quanto historicamente relevante para a cultura islandesa, o Parque Nacional de Thingvellir foi palco da realização do primeiro parlamento do país, no ano de 930 d.C. Outra informação curiosa: a atração encontra-se sobre duas placas tectônicas e conta com formações montanhosas magníficas. 

Quer saber como se divertir? Faça uma caminhada pela área de vegetação, assista as exposições interativas e não deixe de fazer o passeio com o auxílio de guias. Acampar nos campos enquanto observa as montanhas também é uma boa pedida por lá! Não se esqueça de fotografar bastante.

11. Bergen, Noruega

 

Considerada por inúmeros turistas e noruegueses a cidade mais bonita da Noruega, Bergen é a entrada para os famosos fiordes do país e o seu núcleo urbano está contornado por montanhas, além da indescritível vista para o mar. As casas de múltiplas cores do século XIV (tombadas pela UNESCO e situadas no centro histórico), que funcionam como lojas, hotéis e restaurantes, estão entre as atrações mais queridas e dão luz à atmosfera bucólica e tão receptiva do lugar.

Ande pelas ruas, visite o Museu Bryggen e tire um momento para conhecer o famoso mercado de peixe. Ainda que por fora pareça simples, o seu interior é ultra organizado e disponibiliza espaços para dar aquela parada para uma refeição.

12. A inusitada rocha da montanha Kjerag, Noruega

 

Chegou a hora de satisfazer aquele amante de viagens que deseja curtir um treeking na Escandinávia e se deparar com uma formação rochosa de característica única. Ao passar pela trilha da montanha Kjerag (intensidade moderada), o ilustre aventureiro irá chegar à rocha Kjeragbolten, uma estrutura natural de 5 m³ fixada entre duas montanhas a mais de 1000 metros de altura. 

A subida dura cerca de 6 horas (não é difícil, mas requer condicionamento físico, portanto é sempre útil fazer aquela caminhada e corrida antes da viagem) e a sinalização é ótima, ou seja, sem chances de se perder. Destino formidável para sentir aquela energia revigorante tão saudável em diferentes momentos da vida..

13. Torshavn, Ilhas Faroé

 

A capital das Ilhas Faroé tem apenas 15 mil habitantes, aeroporto muito pequeno e mais parece uma aprazível cidadezinha de algum interior — claro que a referência é um lugar MUITO bem desenvolvido — por onde o turista poderá descansar, curtir o ar puro e, claro, utilizá-la como base para conhecer outros cantos do país. 

Sabe um ponto muito interessante — e facilitador — no transporte das Ilhas Faroé? A maior parte das ilhas são interligadas por pontes ou túneis.

14. Ilha Kalsoy, Ilhas Faroé

 

Se 15 mil habitantes é pouco, imagina uma ilha com cerca de 140 deles? Essa é a Kalsoy, localizada no Nordeste das Ilhas Faroé, entre Kunoy e Eysturoy. Mais um daqueles lugares cujas características geográficas emolduram um cenário parecido — ou MAIS bonito — que o de cartões postais. Essa imagem já deu para ter uma ideia? Imagina ao vivo! 

Curiosidade: assim como em todo o arquipélago, Kalsoy tem suas lendas e uma das mais populares é a Lenda da mulher-foca de Mikladalur. Escutar com atenção — e respeito — as histórias da população, é uma maneira inteligente de absorver conhecimentos e mergulhar na magia desse espaço do planeta ainda pouco mencionado em diversos tipos de informes.

15. Museu da banda Abba, Suécia

 

É possível que os mais novos não se lembrem, mas a banda sueca Abba fez sucesso no mundo inteiro e até mesmo aqui no Brasil nos anos 1970, com um repertório dançante e bem pra cima. Olha essa boa nova: os saudosistas fãs de música que estiverem em Estocolmo, poderão visitar um museu charmosíssimo dedicado ao grupo responsável pelo sucesso “Dancing Queen”. 

Novo e moderno, o espaço contempla um helicóptero, usado na capa do disco Arrival, uma réplica da casa por onde Björn e Benny escreviam suas canções, na ilha de Viggsö, discos de prata, peças do figurino utilizados em turnê e muitas surpresas que irão deixar os fãs apaixonados.

16. Palácio de Drottningholm, Suécia

 

O Palácio de Drottningholm é mais um destes clássicos e gigantes lares aristocráticos contornados por exuberantes jardins. Patrimônio Mundial pela Unesco desde 1991, é a residência oficial da família real da Suécia e contém vários pavimentos. 

Além dos jardins, há o pavilhão chinês, um magnífico palácio de ópera erguido em 1766 juntamente com o restante do edifício. Uma atração impressionante por dentro e por fora.

17. Igreja Hallgrimskirkja, Islândia

 

A luterana Hallgrimskirkja, com seus 74,5 metros de altura, é a maior igreja da Islândia e está entre os mais marcantes pontos turísticos da capital Reykjavík. Arquitetonicamente inspirada nas formações rochosas do país, o monumento demorou quase 40 anos para ser construído e contempla 1000 lugares. 

Super recomendado assistir uma missa aos domingos e observar de perto todos os detalhes dessa construção elaborada com tanto requinte. Imagina só ter a sorte de admirar a estrutura com a iluminação da aurora boreal como plano de fundo?

 

Fonte: https://www.viajali.com.br/escandinavia/